Estelionato sentimental

Se você ama alguém, se realmente ama com toda a convicção, com todo seu corpo e alma, não cometa estelionato sentimental. 

Se você ama esta pessoa, não force para que a sua ausência se torne menos dolorosa ou comum, de forma que a vida dela sem você por perto não mudaria em nada.

Se você a ama, não permita que, por motivo qualquer que for, sua última lembrança em caso de alguma fatalidade seja algo amargo ou doloroso - tanto para você, quanto para o outro.

Se o amor realmente existe, não deixe a pessoa de fora de decisões importantes da sua vida, principalmente aquelas que tenham impacto na vida dos dois.

Se tudo for verdadeiro, não permita que um único instante sequer a pessoa esteja insegura sobre a relação, seja um namoro de 3 semanas ou um casamento de 20 anos.

Se, de fato, você sente algo incondicional por esta pessoa, nunca deixe que um dia ao seu lado seja ordinário ou dispensável. E não é estar sempre fazendo coisas megalomaníacas, mas transforme aquele sorvete de domingo na coisa mais especial que poderia ter sido feita naquele momento, e mostre o quanto aquilo é importante pra você.

Por mais que a rotina seja atribulada, nunca deixe o outro em dúvidas do quanto ela é capaz de deixá-lo atordoado com seu corpo, com seu cheiro, com seu sexo. Nunca a deixe na mão em suas taras ou fetiches, de forma que o prazer dela seja o seu prazer também.

Se você a ama de verdade, não ignore ou menospreze seus sentimentos, dores ou angústias. Não raro, por mais forte que seja a relação, as pessoas nos privam de dores inestimáveis que ocorreram em suas vidas. Aquilo que pra você pode ser banal, para o outro pode ser uma pequena morte de sua alma. Acredite na intensidade da dor do outro, por mais que você não a compreenda em totalidade. Muitas vezes o banal nada mais é do que um grito desesperado de ajuda na beira do penhasco.

Se você realmente não quer perder esta pessoa, não seja previsível ou rotineiro. Entre flores e surpresas trabalhosas, entre um simples bilhete deixado na carteira a ações planejadas a semanas, mostre que ela é importante o suficiente para você se importar em perder horas da sua semana fazendo algo por ela.

Se você de fato sente amor por este alguém, nunca deixe-a sair de perto de você com a sensação de que você preferia que ela não estivesse ali. Talvez um dia, pelas circunstâncias do destino ou pelas separações casuais, de fato ela não estará mais. E se isto lhe faria sofrer, por que agir de forma diferente neste momento?

Mas se não for amor... Se for algo menor do que isto, seja comodismo, conveniência, um simples afeto diminuto, uma forte amizade, mas que não é amor de verdade, deixe a pessoa ir.



Se não há lugar para os planos futuros, ou se você se você sozinho daqui a 5 minutos ou 5 anos, deixe-a ir.

Se sua ausência não lhe dói, de forma que para você é um alívio a distância, deixe-a ir.

Se seu sucesso não lhe motiva, se você não se doaria de corpo e alma para ver esta pessoa conquistando seus sonhos, se auxiliá-la é um tormento, deixe-a ir.

Se os pequenos e grandes sacrifícios são pesados demais, mesmo que traga em retorno o sorriso desta pessoa, deixe-a ir.

Se o próprio sorriso desta pessoa não lhe rouba mais o ar, de forma que a sua felicidade não está diretamente ligada a felicidade dela, deixe-a ir.

Se o seu orgulho vale mais do que os sentimentos que você tem por ela, não é amor, deixe-a ir.

Se um mundo sem esta pessoa seria a mesma coisa, ou se é uma dor suportável, deixe-a ir.

Se perder o olhar de admiração não faz diferença, se você não luta para que esta pessoa, além de amar você, o admire em todas suas nuances, deixe-a ir.

Se é mais confortável a cama vazia do que o aperto e o seu cheiro, deixe-a ir.

Se suas lágrimas não lhe causam nenhum incômodo, ou se não saber nada sobre ela por dias não cause qualquer desconforto, deixe-a ir.

Se você não se interessa em perguntar "como foi seu dia?" ou em saber se seus grandes apertos foram solucionados, deixe-a ir.

Se vale mais magoá-la em nome de razão ou do seu ego do que confortá-la e estar próximo a esta pessoa, deixe-a ir.

Não cometa o ato de estelionato sentimental, por mais que isto possa ser confortável para você em alguma medida. Entregue amor a quem lhe ama ou então deixe-a ir. Não seja responsável por danos irreparáveis ao coração alheio, por melhor que seja para você. Mas se você ama esta pessoa, se realmente há um sentimento profundo e verdadeiro, não a deixe ir. Ou, quando quiser reparar o erro, poderá ser tarde demais.

0 comentários:

Postar um comentário



 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT 2015