Não queremos pão no forno! (Não agora. rs): como conversar sobre métodos contraceptivos.

Vida a dois. Tudo lindo, maravilhoso, até o momento em que é preciso acertar algumas coisas que influenciam na vida de ambos. E uma das principais num relacionamento (principalmente se vocês são transantes) é acertar detalhes sobre métodos contraceptivos.

Capa de um dos melhores grupos de contracepção do Face:
https://www.facebook.com/groups/656592204466843/

Bom, vamos do começo, né? Tá tudo lindo, maravilhoso, beijinho pra cá, amasso pra lá e... Pimba! (ok, "pimba" não é lá o melhor termo para isso, mas deixa passar, vai?). Bateu a vontade de tchacatchaca na butchaca, fazer canguru perneta, crew, lepo lepo, segurar o tchan, enfim, use o eufemismo que quiser para a seguinte situação: opa, queremos transar.

Transar é bom e todo mundo gosta, mas leva a duas questões importantes - e uma delas é o foco desse post: prevenção de doenças e de contracepção.

Decidam juntos sobre isso

Com o boom dos problemas acerca dos anticoncepcionais orais, estive muito por dentro de grupos que discutiam a questão dos métodos para evitar babies. Uma das principais discussões é que a mulher deveria ser soberana em relação a decisão do que seria usado - justo, porque muitos deles influenciam diretamente na saúde feminina, como o uso de hormônios sintéticos. Outras já defendiam que esta opção sequer deveria ser conversada com o parceiro, de forma que a mulher decidisse e não fosse preciso comunicar ao parceiro o que escolheu.

Eu particularmente sou contra a segunda discussão e apoio a primeira. Senti na pele e com alguns frios na barriga em outros membros da família o medo e as consequências que o uso de hormônios sintéticos - principalmente estrogênio - podem levar. Mas ninguém transa sozinho e ninguém faz filho sozinho. E ambas as partes devem estar conscientes sobre o que está acontecendo.

Mas por que estou dizendo isso? Bom, porque NENHUM, vamos frisar bem, NENHUM método contraceptivo é 100% eficaz. Alguns são mais, e outros menos e discutir qual deles será utilizado pelo casal é importante. Afinal, não foram poucas as vezes que eu soube que o casal engravidou porque não foi comunicado a suspensão do uso do AC oral (e não foi utilizado métodos de barreira por decisão de ambos). Resultado? Pão no forno!
Clique e veja a taxa de falha de cada método contraceptivo


Ninguém quer ser surpreendido com uma gravidez inesperada, não é? Muito menos que isto aconteça por uma falha de comunicação de alguma das partes. Mas, como esta falha acontece?

- Suspensão do uso de AC sem aviso quando o casal não usava qualquer tipo de método de barreira;
- Furo encontrado na camisinha ao ser descartada e que não foi comunicada para a mulher, para que tomasse PDS;
- Garantia de que a mulher usará PDS (ALERTA DE PERIGO!) após "gozar dentro", que não aconteceu.

(Tia Lu adverte: PDS não é balinha, ok?)

Como decidir pelo método mais eficaz?

Bom, essa é uma decisão pessoal de cada casal e que deve levar em consideração uma série de fatores, entre eles:

  • Nos sentimos confiantes em usar apenas a camisinha, sabendo que ela pode ser de um lote defeituoso ou ter sido furada por pessoas babacas em farmácias?
  • A mulher está disposta e consciente acerca dos efeitos colaterais sobre seu corpo devido ao uso de anticoncepcional hormonal sintético?
  • O uso de DIU fere o princípio de alguma das partes de forma que ele não pode ser considerado em hipótese alguma como método contraceptivo?
  • Em caso de decisões mais drásticas (laqueadura e vasectomia), ambos estão conscientes e certos da decisão?
  • Usar apenas métodos como DIU, SIU, AC, Diafragma não garante a prevenção contra DSTs?
  • Que o método Billings e outros naturais necessitam de tempo de adaptação para que possam ser implementados de forma segura?
Há ainda diversas outras perguntas que precisam ser respondidas antes de se decidir. Lembrando que, por favor homens, se a mulher não quiser métodos hormonais, não forcem ou insistam para que ela utilize-os. Os impactos deste tipo de hormônio no organismo podem levar a sérias consequências a longo prazo.

Se informem juntos

A melhor decisão é tomada quando ambos estão conscientes do que está acontecendo. Pesquisem juntos sobre prós e contras. Sempre pense no que o método escolhido pode trazer como efeito colateral (alergias a látex, problemas devido ao uso de hormônios, perfurações e deslocamento do DIU/SIU). Analisem a tabela com carinho que postamos ali em cima e dividam um com o outro suas dúvidas e incertezas sobre um método ou outro. A gravidez não é consequência do descuido de um ou de outro, de forma que a prevenção dela deve ser assunto de ambos. Ok? ;)

Ps: vale relembrar que usar um desses métodos e abandonar a camisinha não previne contra DSTs. #fikdik

1 comentários:



 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT 2015