...All we need is just a little patience...

[Põe o vídeo para tocar e deixe a trilha sonora inspiradora rolar]

Estudos, trabalho, família, finanças, cotidiano, trânsito.... Dizer que a vida é perfeita seria no mínimo hipocrisia. Todos os dias somos bombardeados com situações complicadas. Vivemos num mundo em que tudo vira doença. As pessoas deixaram de ser fortes, deixaram de abstrair, de encarar a vida. É mais fácil se enclausurar, é mais fácil tomar calmante e antidepressivos. É mais fácil dar meia dúzia de gritos, colocar a culpa no mundo, descontar nos outros. O stress é o mal do século. E a falta de comunicação e de convivência também.

O problema é que se tornou 'comum' ter uma válvula de escape. Você não pode explodir com o chefe, com o atendente, com o caixa do banco. Você não pode escolher uma pessoa aleatória na rua e gritar com ela toda a sua fúria do mundo. Bom, poder você até pode. A questão é que a maioria das pessoas não faz isso. Elas são sorrisos com o mundo, por uma questão social. E quanto maior a intimidade, menos necessidade de social. Sobra logo para os entes mais próximos, principalmente família.

Muitas vezes ouvi que é este lado que tem que compreender as dificuldades daquele ser em particular, afinal, 'a situação está complicada'. Eu concordo. Acho que a compreensão faz parte do companheirismo. Tomar umas porradas e respirar fundo faz parte. Mas, como tudo na vida, o equilíbrio faz parte.

Entenda: por que diabos você vai atacar sempre aquela pessoa que está sempre ali para você? Não era para ser o contrário? Defendermos quem amamos de ser ferido pelo mundo, e neste está incluído nós mesmos?

Aí entra o contraponto. Ouvi demais também 'com as pessoas lá fora fulano é só sorrisos, com a gente é só grosseria'. Isso parece meio normal, um discurso que ouvi de muitas pessoas. Quando você toma uma porrada de um inimigo, você até entende. Afinal, a pessoa realmente não sente nada por você. Mas e quando é de alguém que você ama? As proporções são infinitamente maiores. Então, por que o outro lado não pode ter a compreensão do que está acontecendo?

É simples: você machuca, pede desculpas e vida que segue. Mas vovó já dizia que prevenir é melhor do que remediar. E isso vale principalmente para as relações sociais.

Sabe o que resolve 90% dos problemas do mundo (pós) moderno? Simples. Paciência.

É o respirar fundo antes de despejar algo. É aquele segundo antes de quebrar algo que não terá mais volta. É quando você fica quieto antes de dizer a primeira coisa que vem a sua cabeça. É pensar por um instante o que a pessoa que está a sua frente representa para você.

É por esse último motivo que tentei começar um projeto com o Paulo: todos os dias dizer um motivo pelo qual você ama aquela pessoa. Não precisa ser algo fantástico, poético. Você pode dizer simplesmente que ama porque faz aquela comida gostosa, ou porque disse uma frase engraçada, ou qualquer coisa do cotidiano. Porque enxergando o que ela representa para você, é mais fácil não ser injusto no desespero. Lembrar antes do berro de tudo que ela já fez e é para você.

Nunca a proximidade pode ser justificativa para você descontar algo em alguém. E nem para você não segurar a onda quando o circo pegar fogo. Pelo contrário, esta deve ser a primeira pessoa a ser protegida. Ao meu ver, o ego impera: eu preciso extravasar primeiro, depois me resolvo com o outro; eu não posso aceitar isso, senão vou passar por cima de mim pelos problemas dos outros. Não é por o outro acima de você, mas no mesmo pé de igualdade: afinal, vale você estressar o outro pelo seu estresse? E se ela devolver esse estresse provocado por você, será que você aguenta o tranco? A resposta, na maioria dos casos é 'não', então... Por que você acha que a outra pessoa vai aguentar?

Falta essa visão no mundo: de que o outro importa tanto quanto você. É por isso que as vezes me canso do mundo e penso numa viola, numa praia, rede e caldo de cana. Ou só um hotel em Paris que eu pudesse abrir a janela e ver a Torre Eiffel. Porque este é um detalhe simples, mas que o mundo não se dispõe a enxergar. É a teoria do 'o outro vai fazer comigo, então por que vou poupá-lo?'

Eu não pretendo mudar o mundo ou o pensamento de qualquer pessoa com esse post. Mas se você refletir por um único segundo sobre isso, eu penso que ter atrasado milhares das minhas obrigações vai ter valido a pena. Porque sinto falta de paciência nesse mundo acelerado de pessoas despreparadas para a vida e para conviver.

2bjs

0 comentários:

Postar um comentário



 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT 2015