O gatinho


Não vejo mesmo a hora de termos o nosso canto. Com todas as coisas que vem acontecendo, uma inocente proposta me fez sonhar "alto". Vi um gatinho para ser adotado, branco, olhos verdes e sapecas. Tinha a cara dela, sentia em mim o seu cheiro e queria ir embora comigo. Não resisti, toquei o felino no nariz, então ele agarrou meus dedos e começou a morder. Foi quase impossível sair do pet shop sem levá-lo ainda mais que a loja estava doando e não vendendo os animais, o que me fez gostar mais ainda de tudo isso. Pensei na hora que assim que comprássemos o apartamento, que arrumaríamos um gatinho doado para começar a jornada, fiz a proposta, que foi aceita na hora. Percebi, talvez novamente, que amo mais a cada dia não só pelos grandes planos, mas também em grande parte pelos pequenos grandes sonhos que alimentam este amor. Nem tudo se resume ao casamento, a compra de um lugar para morar, dos futuros empregos. Mas também o gatinho, a cor dos utensílios da cozinha e que tipo de torradas servir no café da manhã dado na cama.
Viver a relação não é só o momento de estar do lado, mas quando se está longe também, pensando em como deve estar, olhando para o céu.. e sentindo na brisa leve que toca o rosto, o beijo suave da pessoa amada.

0 comentários:

Postar um comentário



 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - COPYRIGHT 2015